Comunicação do inventário à AT até 31 de Janeiro, Inventário Permanente: Já conhece as novas regras?

Aproxima-se a data limite para comunicação de inventários respeitantes ao período de tributação de 2015.

Se dispõe de contabilidade organizada, e um volume de negócios superior a 100.000€, é legalmente obrigado a comunicar o inventário, referente ao ano que agora terminou, através do Portal das Finanças, até ao dia 31 de Janeiro de 2016.

Inventário Permanente: Já conhece as novas regras?

Entraram em vigor, no passado dia 1 de Janeiro de 2016, novas regras sobre a obrigatoriedade de realização e comunicação de inventários pelas empresas.

Segundo o Decreto-lei nº98/2015, passam a estar sujeitas a Inventário Permanente todas empresas que reúnam dois dos seguintes critérios no ano de 2015:

a) Total do balanço igual ou superior a 350 000,00 €;

b) Volume de negócios liquido igual ou superior a 700 000,00 €;

c) Número médio de empregados durante o período igual ou superior a 10.

Deste modo, a método de Inventário Permanente passará a ser obrigatório para todas as empresas, excepto as Microentidades classificadas de acordo com os novos limites, e as Entidades com as seguintes actividades económicas:

a) Agricultura, produção animal, apicultura e caça;

b) Silvicultura e exploração florestal;

c) Indústria piscatória e aquicultura;

d) Pontos de vendas a retalho que, no seu conjunto, não apresentem, no período de um exercício, vendas superiores a 300 000,00 € nem a 10% das vendas globais da respectiva entidade;

e) Entidades cuja actividade predominante consista na prestação de serviços, cujo custo das mercadorias vendidas e matérias consumidas não exceda 300 000,00 € nem 20% dos respectivos custos operacionais.

IMPORTANTE: mantém-se a obrigatoriedade de comunicação do inventário final anual via ficheiro a enviar em Janeiro, referente ao exercício de 2015.

Partilhamos também consigo um conjunto de caraterísticas, referentes à obrigatoriedade de Inventário Permanente, que deverá ter em conta:

Procedimentos do Inventário Permanente

a) Contagens físicas dos inventários com referência ao final do período, ou, ao longo do período de forma rotativa de modo a que cada bem seja contado, pelo menos, uma vez em cada período;

b) Identificação dos bens quanto à sua natureza, quantidade e custos unitários e globais, por forma a permitir a verificação, a todo o momento, da correspondência entre as contagens físicas e os respetivos registos contabilísticos.

Requisitos dos Sistemas de Informação das empresas

a) Ter sempre inventário disponível e reflectido contabilisticamente por período, e assim responder a uma eventual inspecção das autoridades;

b) Dispor de pelo menos 1 vez por período do inventário actualizado;

c) Informar o valor das mercadorias vendidas, que será posteriormente reflectido na contabilidade.

Sugestões para um correto inventário permanente

a) As vendas devem ser realizadas após as compras para que disponham de preço custo da mercadoria correto;

b) Lançamento do stock inicial e acertos devem conter o valor da mercadoria movimentada;

c) Evitar dispor de facturas de fornecedores com valores diferentes das Guias anteriores que valorizaram já as entradas de stock;

d) Enviar para a contabilidade o custo das mercadorias vendidas e consumidas.

Particularidades do Inventário Permanente

Num Sistema de Inventário Permanente, o custo das mercadorias vendidas e matérias consumidas é calculado por cada venda ou consumo. Com este sistema é assim possível identificar em qualquer momento o inventário de stock no que se refere a quantidades, natureza e custo unitário e global. Os registos contabilísticos reflectem permanentemente esta realidade, ou seja, as quantidades físicas e a respectiva quantia escriturada do stock existente, permitindo o apuramento de resultados periodicamente ao longo do exercício.

 

Todas as Obrigações fiscais para o ANO de 2016.

CALENDÁRIO FISCAL 2016

 

JANEIRO

Dia Imposto Obrigação
20 IVA Envio da declaração recapitulativa trimestral (transmissões intracomunitárias e prestações de serviços)
20 IRS/IRC Comunicação de rendimentos pagos, de retenções e deduções efetuadas, refrentes ao ano de 2015
31 IVA Comunicação dos inventários à data de 31/12, quando o volume de negócios tenha ultrapassado os 100 mil euros
31 IVA Declaração de alterações dos contribuintes que tenha ultrapassado os limites previstos no artigo 53º e 60º do CIVA
31 IVA Opção pelo regime de IVA (mensal)
31 IRS/IRC Modelo 39 – comunicação de rendimentos pagos e retenções efetuadas a taxas liberatórias, referentes a 2014
31 IRS Modelo 44 – Comunicação anual de rendas recebidas no ano 2015, que estejam dispensados e que não tenham optado pela emissão do recibo de renda eletrónico
31 IVA Opção pelo regime de IVA (mensal)

FEVEREIRO

Dia Imposto Obrigação
1 IRS/IRC Modelo 10 – Declaração de rendimentos pagos e de retenções, deduções, contribuições sociais e de saúde e quotizações, referentes a 2015
15 IVA Envio de declaração periódica regime trimestral e anexos e pagamento
15 IRS Consulta, registo e confirmação de faturas no Portal das Finanças para efeitos de deduções à coleta
29 IRS/IRC Modelo 25 – Donativos recebidos por entidades sem fins lucrativos
29 IRC Opção pelo regime simplificado
29 IVA Entrega da declaração de alterações pelos sujeitos passivos suscetíveis de ser abrangidos pelo regime forfetário dos produtores agrícolas que pretendam exercer a opção pela sua aplicação.

MARÇO

Dia Imposto Obrigação
15 IRS Consulta e reclamação das despesas comunicadas à Autoridade Tributária, no Portal das Finanças
15/03 a 15/04 IRS Modelo 3 e anexos – 1ª fase (Categoria A e H) – transmissão eletrónica- referente a 2015
31 IRS Entrega da declaração de alterações pelos sujeitos passivos de IRS que pretendem alterar o regime de determinação do rendimento
31 IRS Opção pelo regime de tributação dos rendimentos (contabilidade organizada/ regime simplificado)
31 IRC Pagamento Especial por conta de IRC

ABRIL

Dia Imposto Obrigação
15 ACT Elaboração e afixação, pelo empregador, do mapa de férias referente ao ano de 2015 – a gozar em 2016
15 MTSS Relatório único referente a 2015
15/03 a 15/04 IRS Modelo 3 e anexos – 1ª fase (Categoria A e H) – transmissão eletrónica- referente a 2015
16/04 a 16/05 IRS Modelo 3 e anexos – 2ª fase (restantes categorias) – transmissão eletrónicareferente a 2015
20 IVA Envio da declaração recapitulativa trimestral (transmissões intracomunitárias e prestações de serviços)
30 IMI Pagamento do Imposto Municipal de Imóveis

MAIO

Dia Imposto Obrigação
15 IVA Envio da declaração periódica regime IVA trimestral e anexos e pagamento
16/04 a 16/05 IRS Modelo 3 e anexos – 2ª fase (restantes categorias) – transmissão eletrónica referente a 2014
31 IRC Modelo 22 – Envio da declaração modelo 22 relativa a 2015, pagamento do IRC, da Derrama e da Derrama Estadual

JULHO

Dia Imposto Obrigação
15 DF Constituição do Dossier Fiscal, relativo ao exercício 2015
15 IES/DA Envio da IES/Declaração Anual referente a 2015, e anexos aplicáveis
15 DF/PT Organização da documentação relativa à política de preços de transferência, relativo ao ano 20145
20 IRS Entrega da declaração de alterações pelos sujeitos passivos de IRS que pretendem alterar o regime de determinação do rendimento
20 IVA Envio da declaração recapitulativa trimestral (transmissões intracomunitárias e prestações de serviços)
31 E. V. Mobiliários Modelo 34 – Comunicação pelas entidades emitentes de valores mobiliários, com referência a 2015
31 IRC Pagamento Adicional por conta – Derrama Estadual
31 IRC Pagamento normal por conta de IRC
31 IMI Pagamento do Imposto Municipal de Imóveis

AGOSTO

Dia Imposto Obrigação
16 IVA Envio da declaração periódica regime IVA trimestral e anexos e pagamento
31 IRS Pagamento do IRS relativo ao ano de 2015

SETEMBRO

Dia Imposto Obrigação
20 IRS Entrega da declaração de alterações pelos sujeitos passivos de IRS que pretendem alterar o regime de determinação do rendimento
30 IRC Pagamento adicional por conta – derrama Estadual
30 IRC Pagamento normal por conta de IRC

OUTUBRO

Dia Imposto Obrigação
20 IVA Envio da declaração recapitulativa trimestral (transmissões intracomunitárias e prestações de serviços)
31 IRC Pagamento especial por conta de IRC
até 31 IVA Opção pelo regime de contabilidade de caixa

NOVEMBRO

Dia Imposto Obrigação
15 IVA Envio da declaração periódica regime IVA trimestral e anexos e pagamento
30 IMI Pagamento do Imposto Municipal de Imóveis (para imposto superiore a 250 euros)

DEZEMBRO

Dia Impsto Obrigação
15 IRC Pagamento adicional por conta – derrama Estadual
15 IRC Pagamento normal por conta de IRC
20 IRS Entrega da declaração de alterações pelos sujeitos passivos de IRS que pretendem alterar o regime de determinação do rendimento

TODOS OS MESES

Dia Imposto Obrigação
10 Segurança Social Declaração de remunerações
10 IRS/IRC/SS Declaração de remunerações mensal (AT) – trabalho dependente
10 IVA Envio da declaração do regime do IVA mensal, anexos e pagamento
15 INTRASTAT Envio do INTRASTAT
20 FCT/FGCT Emissão e pagamento da contribuição para o Fundo de Compensação do Trabalho e Fundo de Garantia de Compensação do Trabalho
20 Segurança Social Pagamento das contribuições
20 IRS/IRC/IS Envio da declaração e pagamento de IRC e IRS retido e Imposto de Selo
20 IVA Envio da declaração recapitulativa mensal (transmissões intracomunitárias e prestação de serviços)
25 IVA Comunicação das faturas (envio ficheiro SAFT)
28/30/31 IRS/IRC Modelo 30 – Declaração de rendimentos pagos ou colocados à disposição de sujeitos passivos não residentes

OUTRAS DATAS

Imposto Obrigação Qando
IVA Caixa postal eletrónica (via CTT) 30 dias a contar da data de início de atividade ou na data do regime normal de IVA
IVA Comunicação das Guias de Transporte Antes de se iniciar o transporte de bens
IVA Declaração de alterações cadastrais Até 15 dias, seguidos, após o fato gerador da alteração
SS Comunicação da admissão de novas trabalhadores Nas 24 horas anteriores ao início do contrato
IUC Pagamento do Imposto Único de Circunvalação Até ao último dia do mês da matrícula
IMI Pedido de Isenção do IMI No prazo de 60 dias, contados a partir do motivo da isenção
IRS/IES Entrega da declaração modelo 22 de IRC e respetivo pagamento e IES/DA na data de encerramento da liquidação ou na data de fusão ou cisão Até ao 30º dia seguinte ao da data da cessação (registo na conservatório do registo comercial)
Planeamento Fiscal/Promotores Comunicação de esquemas e atuações Nos 20 dias seguintes ao termo do mês a que se refere
Planeamento Fiscal/Utilizadores Comunicação de esquemas e atuações Até ao final do mês seguinte em que

Alterações importantes nos Salários

Alteração sobretaxa IRS para 2016, com rotina automática actualização salário mínimo e taxa por funcionário.

Alteração calculo dias para o ficheiro da Segurança Social E Ficheiro DMR

Criação de tabelas para descarga automática dos salários na Contabilidade.

Simples, prático, intuitivo, cada vez mais uma ferramenta indispensável em qualquer empresa.

 

2016, o ANO QUE EXIGE O INVENTÁRIO PERMANENTE A QUASE TODAS AS EMPRESAS

2016, o ANO QUE EXIGE O INVENTÁRIO PERMANENTE A QUASE TODAS AS EMPRESAS

No Inicio deste Ano, muitos negócios começam a preparar-se para realizar o seu inventário anual.

Independentemente do facto de uma gestão eficiente de inventário aportar inúmeras vantagens para o sucesso de uma actividade, damos-lhe a conhecer 6 informações relevantes para a comunicação do inventário à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT):

1. Estão obrigadas a comunicar o inventário à AT todas as entidades (singulares ou colectivas) com contabilidade organizada e com um volume de negócios superior a 100.000 €;

2. O inventário deve contabilizar todas as existências à data de 31 de Dezembro de 2015;

3. O registo deve detalhar os artigos e respectivas quantidades, enquadrados numa das seguintes categorias:

– mercadorias
– matérias-primas, subsidiárias e de consumo
– produtos acabados e intermédios
– sub-produtos, desperdícios e refugos
– produtos e trabalhos em curso

4. Esse inventário deve, depois, ser comunicado electronicamente à AT até ao dia 31 de Janeiro de 2016;

5. Se o seu negócio estiver enquadrado na obrigação de comunicar inventário, mas a 31 de Dezembro de 2015 não tiver existências, deve igualmente submeter a comunicação à AT de que não possui existências;

6. Caso esta obrigação anual não seja cumprida, incorre numa contra ordenação grave, punível com coima entre 200 e 10.000 euros;

TEMOS SOLUÇÕES PARA O COMERCIO, INDUSTRIA TRANSFORMADORA (calçado, marroquinaria, solas, vestuário, colchoes, etc.).

 

Segurança nos movimentos da CONTABILIDADE

Se porventura, ao lançar documentos de um qualquer diário a energia falhar, o pc desligar, o que acontece aos movimentos?

RECUPERAMOS todos os movimentos no inicio da sessão, onde nos movimentos, vamos verificar se houve algum tipo de anomalia e RECUPERAMOS TODOS OS MOVIMENTOS ORA PENDENTES.

Simples, Prático, Funcional, SEGURO!

Como preparar a entrada da empresa no próximo ano 2016

 

Como preparar a entrada da empresa no próximo ano

Como controlar as despesas e ter mais dinheiro em 2016? Começar o planear o orçamento com antecedência é condição essencial para melhorar a rentabilidade de qualquer empresa, independente da actividade Empresarial.

Num momento como este de instabilidade financeira, planear o futuro pode-se tornar ainda mais importante. E é em situações como estas que as empresas mais bem preparadas se sobressaem, escolhendo os melhores parceiros e os que garantem maior estabilidade Empresarial.

Neste momento já é possível fazer uma análise parcial dos resultados do ano, reflectindo sobre as acções que deram certo ou não e no que pode ser feito melhor em 2015.

O Empresário  precisa de olhar para a empresa como um todo, do ponto de vista interno e externo, sem se deixar influenciar por emoções ou conservadorismo. É fundamental ter dados reais, confiáveis e organizados para tomar as decisões certas para o próximo ano.

Alguns conselhos:

Analise a sua actividade,
Assim como os indicadores macroeconómicos, o empresário precisa de conhecer também a situação da sua actividade empresarial. Esta análise deve ser feita levando em conta todos os pontos de vista possíveis (económico, jurídico, estrutural, entrada de produtos alternativos) e como isso pode interferir directamente o seu negócio.

Este é um processo que deve ser contínuo e dinâmico. O planeamento estratégico e o orçamento empresarial devem ser instrumentos de gestão activos na empresa. Um erro muito comum é criar um óptimo plano e depois engaveta-lo, perdendo de vista o que está acontecendo no mercado.

Acompanhe a concorrência.
Uma maneira de reunir informações sobre o seu mercado é analisar o desempenho concorrência.
Saber como foi 2015 para os principais concorrentes, como eles inovaram e quais tendências sua empresa ainda pode aproveitar pode trazer ideias importantes para a sua empresa planear 2016.

A principal vantagem em acompanhar de perto seus concorrentes é a velocidade de aprendizagem que isto traz para seu negócio. Afinal, os seus concorrentes também estão (ou deveriam estar) a testar e aprender novas formas de melhorar seus negócios continuamente. Assim, poderá aproveitar para aprender com os erros e acertos deles!

Conceba um Plano!
Planear é muito simples: trace metas, foque nos objectivos da organização e não perca de vista os indicadores de mercado.

Feito isto, basta colocar os planos em prática, dividindo o planeamento em níveis, como estratégico, táctico e operacional, traçando estratégias de acções para alcançar o resultado e levando isso para toda a empresa.

E tudo isto, no final se traduz em números. E se estamos a falar de números planeados, estamos a falar do Orçamento Empresarial, a bússola que vai guiar os resultados financeiros da empresa para todo o ano.
Acompanhe e melhore.
É preciso acompanhar com frequência o andamento das metas estabelecidas, desde o começo do ano. Não espere que as coisas estejam a correr mal para começar a medir e testar novas estratégias.

Só com o acompanhamento regular dos resultados é que é possível conhecer onde a empresa pode melhorar os custos, reduzir despesas ou aproveitar oportunidades que podem não estar a ser exploradas, identificando por exemplo, novos canais de vendas.

Registe e acompanhe regularmente as operações financeiras.
Mesmo que não contrate um Analista, algumas acções básicas podem ajudar a não cair nos principais erros da gestão financeira e a preparar o terreno para um bom planeamento financeiro.

Organizar um método de registo das contas a pagar e das contas a receber na empresa é importante para se ter pleno controlo do capital e poder analisar saúde financeira da organização. Mas não basta registar: é preciso monitorizar cada lançamento para perceber como estão a caminhar as finanças.

Com esta estrutura será capaz de fazer projecções das entradas e saídas de recursos da empresa com mais precisão, além de entender como as suas finanças vão progredindo com o passar dos meses.

Corte os gastos supérfluos e não aquelas que são necessários e fundamentais para a gestão da sua Empresa.

Diminuir ou extinguir de vez aqueles gastos desnecessários ou pouco úteis é uma iniciativa que poderá render óptimos frutos no futuro. Ainda que algumas coisas possam parecer essenciais, é sempre possível reduzir gastos ao fazer o planeamento financeiro.
Utilize um software de GESTÃO.
Um bom software de GESTÃO, permite controlar as suas vendas, as suas compras, os seus stocks, as contas a pagar e a receber, consultar estatísticas de vendas, mapas de compras e vendas, ver relatórios e gráficos de resultados financeiros, além de poder emitir todos os documentos obrigatórios por lei, etc..

Tudo isto pode obter com as nossas soluções COMERCIAIS e para o RETALHO.

Com o planeamento financeiro não é diferente. Com um bom sistema de controlo financeiro associado à sua contabilidade, terá fácil acesso ao histórico de gastos e ganhos, com mapas de exploração empresarial, rentabilidade da empresa. Isso será uma óptima ajuda usando o passado para planear o futuro com muitas mais certezas.

Tudo isto pode obter com a nossa gestão para a CONTABILIDADE.

Portanto, não perca tempo deixando os dados da sua empresa desorganizados ou sem controlo:

Solicite já uma visita comercial, ou peça uma demonstração das nossas soluções; email ceteconta@gmail.com

 

Tem uma Industria e não consegue resolver o problema dos Inventários?

Nós temos a solução de chave na mão. Todas as nossas aplicações (retalho, comercio e industria), gerem os stocks por tipo de material, serviço ou produto e ainda outros, podendo exportar os dados para Excel, tratá-los de acordo com as suas normas contabilísticas, ou então integrá-las de forma automática na nossa aplicação de Contabilidade.

Está pronto, está a funcionar, não perca tempo, peça já uma visita de um nosso comercial e marque já uma demonstração.

email; ceteconta@gmail.com,  comercial@ceteconta.com, ceteconta@mail.telepac.pt

 

Tem problemas com o INVENTÁRIO?

Tem problemas com os Inventários? Resolvemos o problema na gestão comercial, no Retalho e na INTEGRAÇÃO NA GESTÃO DA CONTABILIDADE.

Recolhemos o ficheiro de qualquer aplicação do inventário e na Gestão da Contabilidade, integramos o Inventário, valorizamos, classificamos e lançamos automaticamente na contabilidade, e de seguida arquivamos na gestão documental o ficheiro!

Tudo isto de forma automática.

Simples, prático e intuitivo. Ainda não tem? peça já uma DEMO.

Documentos Tipo

contabilidade, fiscalidade, legalidades

Agora é ainda mais fácil fazer lançamentos manuais! Configure o documento, ou documentos, e na rotina de movimentos, pode escolher a opção automática por TIPOS de DOCUMENTOS.

Introduza o tipo Documento, de seguida introduza o valor, confirme e está feito o lançamento.

Simples, prático e intuitivo.

CADA VEZ MAIS RÁPIDO FAZER LANÇAMENTOS NO ctc.contabilidade.